N. Sra da Penha – V. Grande

 História da comunidade N. Sra. da Penha – V. Grande

n. sra. penha.- v grandeSituada na localidade de Vargem Grande, por volta do ano de 1902, as poucas famílias que residiam na localidade sentiram a necessidade de se reunirem para fazer suas orações em grupo, então os moradores construíram um pequeno oratório para essas reuniões. Com o passar do tempo o número de famílias foi crescendo e a participação foi aumentando, e com isso surgiu a ideia de construir um templo maior, que foi feito de madeira, e foi inaugurado em 14 de maio de 1914 com a Santa Missa presidida  pelo Pe Leduc. Mas a localidade que foi construída a igreja não foi bem aceita porque ficava perto do rio Guandu e na época não havia ponte no local.
Então a comunidade entrou em ação para solucionar o problema e decidiram construir o 2º templo, este seria feito de alvenaria e bem maior. Por volta do ano de 1936, o templo foi construído, tendo como construtor Sr. Saturno, Lindolfo Pires, João Saiter e Francisco Ancelmo Soares, com terreno doado pelo proprietário Ernesto de Vargas Fernandes.
Com a chegada do asfalto a BR 262, a Rodovia Sebastião Alves de Lima que liga Afonso Claudio  a BR 262, isto em 1967 a comunidade ficou prejudicada. Na ocasião, o presidente da comunidade Jarbas de Vargas Fernandes procurou dialogar com Pe Paulo sobre o assunto, ele nem recebeu, deixando que o asfalto cortasse boa parte do pátio da igreja. A partir desta época Pe Paulo ficou com raiva e deixou de nos visitar  por 12 anos. Com tudo isso, as portas da nossa igreja não foram fechadas, mesmo com cinco ou seis pessoas frequentando na época, devido à insistência e muita fé da Senhora Emília Giestas Fernandes, que toda semana zelava o templo, sempre acreditando que um dia a comunidade ia se reerguer, e a vitória foi alcançada.
Em 1979, Pe Paulo voltou a celebrar na comunidade, na época já Mons. Paulo de Tarso. Então famílias se animaram e estão na comunidade até os dias de hoje.
Outro marco na comunidade foi quando receberam uma carta da Cúria Metropolitana de Vitória, através do Arcebispo dom silvestre Luiz Scadian, com a autorização para construção da capela do santíssimo. Isto em 1º de agosto de 2000.